Regulamento

"Vinhos Engarrafados do Alentejo"

REGULAMENTO DO CONCURSO “Melhores Vinhos do Alentejo” 1. OBJECTIVOS A Confraria dos Enófilos do Alentejo organizará, em estreita colaboração com a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (a seguir “CVRA”), o Concurso de “Melhores Vinhos do Alentejo” (a seguir “Concurso”), com o objectivo de, - Dar a conhecer aos consumidores a excelência dos vinhos produzidos no Alentejo; - Fomentar a produção de vinhos de qualidade; - Desenvolver acções promocionais, em parceria com a CVRA ou outras entidades, dos vinhos premiados no Concurso; - Incentivar a moderação no consumo do vinho no âmbito do programa “Wine in Moderation”; - Contribuir para a divulgação da Cultura do Vinho em geral, através de iniciativas ligadas a programas Culturais, de Turismo e Gastronomia. 2. PERIODICIDADE O Concurso será realizado anualmente. 3. PRODUTOS ADMITIDOS a) O Concurso está aberto aos vinhos produzidos no Alentejo certificados como Denominação de Origem “Alentejo” ou Indicação Geográfica “Alentejano”, cuja rotulagem identifique nominalmente o produtor. b) Não há restrições quanto ao número máximo de vinhos a concurso, por cada agente económico. c) Todos os vinhos devem estar engarrafados e legalmente rotulados com indicação do ano de colheita, ostentando os correspondentes selos de certificação. d) São admitidos a concurso vinhos tranquilos (CO2<1,0 bars 20º C) brancos, rosados ou rosés e tintos. e) A admissão de um vinho a concurso implica a quantidade mínima equivalente a 2.500 litros de existências. 4. REGIÃO ALENTEJO A região vitícola do Alentejo abrange os distritos de Évora, Beja e Portalegre. 5. DIVULGAÇÃO DO CONCURSO 5.1. Antes da realização do Concurso a) A Confraria dos Enófilos do Alentejo divulgará o Concurso de forma adequada junto de todos os produtores, indicando o Regulamento do Concurso e a data limite de apresentação das candidaturas e da entrega de amostras. b) A realização do Concurso será anunciada num jornal de cada um dos distritos de Évora, Beja e Portalegre e em pelo menos um jornal ou revista de âmbito nacional. 5.2. Após a realização do Concurso A Confraria dos Enófilos do Alentejo desenvolverá ações de relações públicas na comunicação Social. Além de outras ações de difusão dos resultados do Concurso, deve: a) Divulgar na comunicação social o resultado do Concurso, nomeadamente junto da Agência Lusa e dos jornais e revistas da especialidade ou outras. b) Convidar os jornalistas e críticos de vinho, incluindo os da TV, para uma sessão de divulgação onde serão apresentados os vinhos premiados, com a presença dos produtores e enólogos. 6. INSCRIÇÃO DE AMOSTRAS, REGISTO E RECEPÇÃO a) Os interessados deverão efectuar a sua inscrição em documento próprio designado “Ficha de Inscrição”, a enviar para o endereço electrónico cealentejo@gmail.com, ou em alternativa, para a sede da confraria via CTT, ou ainda para o fax nº 266748879, respeitando as datas estipuladas anualmente para o efeito. b) No acto de inscrição, os produtores deverão efectuar o pagamento de 100 € por cada vinho a submeter a concurso e entregar cópia do boletim de análise desse vinho, emitido pela CVRA. c) As amostras, em número de 4 garrafas de 0,75L por cada vinho a concurso, deverão ser enviadas para a sede da Confraria dos Enófilos do Alentejo, respeitando o prazo referido na “Ficha de Inscrição”. d) Após a recepção das amostras, a Comissão Executiva realiza a verificação da informação solicitada e a catalogação em listagem própria. A informação mencionada na ficha de inscrição é da responsabilidade do concorrente. A Comissão Executiva reserva-se ao direito de utilizar os meios à sua disposição, para confirmar junto da entidade certificadora, as informações apresentadas, e recusar amostras que não se enquadrem face ao exposto no presente regulamento. e) Verificada e validada a informação, as amostras são codificadas e listadas em séries com destino aos painéis de prova, tendo em conta as características específicas dos vinhos a concurso de forma a assegurar séries relativamente homogéneas. f) Segue-se o armazenamento em local adequado, seguro e de acesso restrito, sob condições de luz, temperatura e humidade controladas, sendo assim asseguradas pela organização as condições necessárias para a preservação das características dos vinhos e respectivo anonimato das amostras. 7. ÂMBITO DO CONCURSO E FUNCIONAMNETO GERAL a)Todos os vinhos que respeitem as condições definidas no ponto 3 são submetidos ao Júri para que os classifique de acordo com a sua qualidade intrínseca, utilizando a “Ficha de Prova Organoléptica” do Concurso de “Melhores Vinhos do Alentejo” e que se apresenta em formato informático, em Software próprio, em sessão de prova cega. b) As amostras são devidamente preparadas e ordenadas as series para os painéis de prova, em local de apoio específico à sessão de prova, de acesso estritamente reservado, sendo interdita a entrada neste espaço a qualquer elemento estranho à Comissão Executiva para que fique assegurada a total confidencialidade das amostras em concurso. d) Os vinhos são provados em séries de aproximadamente 10 amostras e apresentadas ao presidente do júri devidamente acondicionadas em manga opaca, sem vedante, contendo apenas de forma visível o nº de código que a identifica. e) Se o júri entender que alguma amostra não se encontre nas melhores condições, pode o presidente solicitar ao coordenador da prova o duplicado da amostra. f) A sessão de prova decorrerá em Évora, em local a seleccionar que reúna todas as condições que garantam o bom funcionamento do concurso. A sessão de prova deverá ter início a partir das 09 horas, no dia marcado, sendo asseguradas as condições adequadas para a realização da prova, nomeadamente acesso reservado à sala de prova, luminosidade do dia, temperatura confortável, mesas com espaço adequado, logística e serviços de apoio ajustados. 8. JÚRI a) O Júri é constituído por um ou mais painéis de provadores, funcionando validamente, no mínimo, com sete elementos, sendo um deles nomeado presidente de júri pela Comissão Executiva. b) O Júri é composto por especialistas de vinhos, nacionais e/ou estrangeiros. c) O Escanção Mor da Confraria coordena e apoia os presidentes de júri. 9. PRÉMIOS a) Os prémios a atribuir deverão, no máximo, representar 20% do total de vinhos a concurso. b) Aos vinhos que tenham obtido do Júri pontuação conforme às abaixo referidas serão atribuídos os seguintes prémios, por vinho Branco, Rosado e Tinto: - Medalha de Ouro ≥ 85 pontos - Medalha de Prata ≥ 82 pontos - Medalha de Bronze ≥ 80 pontos - Menção Honrosa ≥ 75 pontos. c) Por vinho Branco, Rosado e Tinto poderão ser atribuídas, no máximo, 10 Medalhas de Ouro. d) Ao vinho Branco, Rosado e Tinto com pontuação mais elevada, com prémio Medalha de Ouro, será atribuído o Prémio de Excelência - Talha de Ouro. e) Caso os vinhos a concurso não atinjam a qualidade desejável, poderão não ser atribuídos alguns dos prémios mencionados. 10. MENÇÃO DOS PRÉMIOS ATRIBUIDOS a) A menção na garrafa ao prémio atribuído só poderá ser efectuada mediante a aposição de um selo ou medalha da Confraria dos Enófilos do Alentejo, a colocar em rótulos ou contra-rótulos, em número correspondente ao volume indicado como quantidade disponível declarada na “Ficha de Inscrição”. b) Os produtores pagarão à Confraria a importância de 0,20 € + IVA por unidade de selo ou medalha. 11. COORDENAÇÃO DO CONCURSO a) O Concurso é coordenado por uma “Comissão Executiva”, constituída por cinco (5) confrades, dos quais quatro (4) indicados pela Mesa, sendo o quinto elemento o Escanção-Mor que preside. b) A esta Comissão compete: - Decidir sobre a admissão de vinhos a concurso; - Garantir o anonimato de todas as amostras de vinho; - Preservar as características dos vinhos inscritos, através de logística ajustada e controlo das condições de conservação; - Deliberar sobre questões omissas no presente Regulamento relacionadas com a gestão do concurso. 12. REGRAS GERAIS a) Os resultados do Concurso não terão direito a recurso. d) A participação neste Concurso implica a aceitação das cláusulas do presente Regulamento. e) A divulgação dos resultados e distribuição dos prémios terá lugar em data a anunciar, em sessão pública, nos 60 dias seguintes à avaliação do Júri.